A filosofia política de Platão – por K. Popper

A análise da sociologia de Platão facilita a apresentação de seu programa político. Suas exigências fundamentais podem expressar-se por qualquer destas duas fórmulas: a primeira, correspondente à sua teoria idealista da mudança; a segunda, a seu naturalismo. A fórmula idealista é: Detenha-se toda mudança política! A mudança é maléfica; o repouso, divino. Toda mudança pode ser detida se se fizer do Estado cópia exata de seu original, isto é, a Forma ou Ideia da cidade. E se se perguntasse como seria isso praticável, poder-se-ia responder com a fórmula naturalista: Volte-se à natureza! Voltemos ao estado original de nossos antepassados, o estado primitivo fundado de acordo com a natureza humana e, portanto, estável; voltemos ao patriarcado tribal do tempo anterior à Queda, ao natural governo de classe dos poucos sábios sobre os muitos ignorantes.

Creio que praticamente todos os elementos do programa político de Platão podem derivar-se dessas exigências. Estas, por sua vez, baseiam-se em seu historicismo e têm de ser combinadas com suas doutrinas sociológicas relativas às condições para a estabilidade do regime de classe. Os principais elementos que tenho em mente são:

A) A estrita divisão de classes, isto é, a classe governante, consistente de pastores e cães de vigia, deve ser estritamente separada do gado humano.

B) A identificação do destino do Estado com o da classe dirigente; exclusivo interesse por esta classe e por sua unidade; e, subordinadas a essa unidade, regras rígidas para criar e educar essa classe, com estrita supervisão e coletivização dos interesses de seus membros.

Destes elementos principais outros podem ser derivados, como, por exemplo, os seguintes:

C) A classe governante tem o monopólio de coisas tais como as virtudes e o adestramento militares, e o direito de portar armas e de receber educação de qualquer espécie; mas é excluída de qualquer participação nas atividades econômicas, especialmente a de ganhar dinheiro.

D) Deve haver censura de todas as atividades intelectuais da classe dirigente e uma propaganda contínua visando a moldar-lhes e unificar-lhes as mentes. Qualquer inovação em educação, legislação e religião deve ser evitada ou suprimida.

E) O Estado deve ser auto-suficiente. Deve visar à autarquia econômica, do contrário os governantes teriam de depender dos comerciantes ou tornar-se comerciantes eles próprios. A primeira dessas alternativas minar-lhes-ia o poder, a segunda solaparia sua unidade e a estabilidade do Estado.

Creio que tal programa pode ser classificado, com justiça, como totalitário.

(POPPER, Karl. A sociedade aberta e seus inimigos)

Anúncios
Esse post foi publicado em Filosofia, Filosofia antiga, Questão 05: A política e marcado , , . Guardar link permanente.

12 respostas para A filosofia política de Platão – por K. Popper

  1. Bruno disse:

    Beiim legaal

  2. jose notico disse:

    filosofia politica

  3. Anônimo disse:

    deixou duvidas

  4. Anônimo disse:

    filosofo politico è alguem que analisa,criticamente a sociedade,indicando os aspectos positivos e negativos

  5. Amanda disse:

    curti, ajudou mt meu trabalho (:

  6. tambem mim ajudou

  7. anny disse:

    como se explica
    forma naturalista?

  8. eu acho muito ótimo

  9. Anônimo disse:

    um bom assunto sobre pratão

  10. sofia disse:

    Muito interesante!

  11. May Silva disse:

    É…
    Foi Uma pesquisa legal, bem detalhada, fala praticamente de tudo…
    Mais deveria ser mais explicativo, esse foi o melhor site de pesquisa assim pra mim…
    Mais me deixou dúvidas…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s